Encantado terá biblioteca ítalo-gaúcha

Encantado ganhará um ambiente para valorização da cultura e da literatura rio-grandense e italiana. Trata-se da primeira biblioteca ítalo-gaúcha de que se tem notícia no Estado. O espaço é estruturado na sede do Grupo de Artes Nativas (GAN) Anita Garibaldi, no Parque João Batista Marchese. A entidade foi contemplada por meio da Lei Aldir Blanc. Em torno de R$ 80 mil serão investidos, tanto para reformar as salas quanto para aquisição dos livros. São estimadas cerca de 500 unidades. Uma bibliotecária da Univates auxilia no processo, desde os títulos até a estante mais adequada. Pesquisas também estão sendo feitas por toda a equipe.

De acordo com a patroa da entidade, Valéria Belotti, a ideia surgiu da necessidade de se ter um material de estudo e de transformá-la em algo que pudesse atender a toda a comunidade. Somou-se o fato de que a parte teórica está cada vez mais rigorosa nas competições e o peso é maior, se comparado com as danças, por exemplo. Assim, o projeto foi amadurecido e elaborado coletivamente nos mínimos detalhes pela patronagem, com muito “amor e carinho, o que contribuiu para o resultado positivo, com auxílio de parceiros. A inclusão do “ítalo” se dá justamente pela forte ligação regional com a cultura italiana. Há o cuidado para repetir o menos possível os títulos já disponíveis na Biblioteca Pública de Encantado, por exemplo.

A Biblioteca Ítalo-Gaúcha Jorge Moreira será destinada para estudos e pesquisas dos integrantes da entidade e de outras instituições, além de toda a comunidade da 24ª Região Tradicionalista (RT), assim como a preparação e organização de eventos artísticos e culturais. Mostras folclóricas, debates, seminários, tertúlias, palestras e concursos são algumas atividades que poderão ser realizadas, além daquelas que propriamente fomentem a leitura.

Para a história

Neste momento, a expectativa é de que a entrega ocorra em meados de 2021, com o cumprimento dos prazos estipulados pela Lei Aldir Blanc. Contudo, a intenção é promover um grande evento de inauguração, à altura da conquista e para eternizar o momento. Porém, isso depende exclusivamente do fim da pandemia.

Depois de tudo pronto, será feita a prestação de contas. “Vai ser um espaço que terá um peso importante para as escolas e até mesmo a vestibulandos, com conteúdos de história e geografia que são cobrados até nas provas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs). “Para todos que se importam com a educação, que buscam o conhecimento, é uma conquista histórica, estamos muito felizes. O povo que conhece melhor a sua trajetória, suas origens e lutas, sabe para onde vai”, celebra Valéria.

A patroa destacou que a dimensão do fato pode ser percebida a partir da alegria de uma criança de seis, sete anos ao saber da novidade, testemunhada recentemente. Para ela, isso significa a oportunidade de formar pessoas melhores, abrir leques, dar continuidade aos aprendizados, manter viva a tradição e garantir que a cultura gaúcha prevaleça.

Homenagem

Como forma de homenagear o escritor e tradicionalista Jorge Moreira, o local receberá o seu nome. Ele faleceu em junho de 2020, aos 91 anos, e viveu em Encantado durante grande parte da vida, com forte atuação comunitária. De acordo com a patroa, Valéria Belotti, “Seu Jorge”, como carinhosamente era chamado, foi uma figura muito presente e querida por todos, era conselheiro benemérito do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG) – com ele se buscava orientações e informações sobre quais decisões poderiam ou deveriam ser tomadas e eventuais dúvidas – e participava de todas as atividades da entidade.

Fonte: O Informativo