A proposta coreográfica do CTG Carreteiros do Sul para o Enart 2019 foi inspirada no conto Boi Velho, do livro Contos Gauchescos de João Simões Lopes Neto.

Na coreografia de entrada, o grupo retratou o trabalho do gaúcho do campo na criação e cuidado com seus bois – desde a escolha de seus parceiros até o treino para torná-los uma junta de bois. De acordo com CTG Carreteiros do Sul, os bois aprendem a andar no mesmo compasso e conhecem suas funções, a fim de dividir o peso do trabalho desde novinhos. Poeticamente retrata a amizade e parceria na vida e no trabalho entre os bois e o Carreteiro.

Já na coreografia de saída, o grupo apresentou a morte de um dos bois, que foi picado por uma cobra, e a tristeza do boi que ficou sozinho sem seu parceiro de junta. Vendo o seu amigo definhar, o Carreteiro resolveu sacrificá-lo para acabar com seu sofrimento. Ainda de acordo com o grupo, simbolicamente as almas dos bois irão se encontrar para poeticamente dar sequência à sua empreitada nas campeiradas do céu.

Compartilhe

Deixe uma resposta